Epidemiologia: O carcinoma epidermóide (CEC) é o tumor maligno mais frequente da cavidade oral, correspondendo a aproximadamente 90% dos cânceres de boca e orofaringe. Sua prevalência é três vezes maior em homens do que em mulheres, com uma proporção de 3:1, e o risco aumenta com o avanço da idade.

É estimada uma incidência de 15.190 novos casos de câncer de boca no Brasil em 2020, sendo 11.180 destes, em homens, e 4.010, em mulheres.(INCA, 2020) Estes dados fazem com que o câncer oral seja o 5º câncer mais frequente em homens, e o 13º em mulheres. Além disso, em 2018 foram contabilizados, no Brasil, 6.455 óbitos por câncer de boca e orofaringe, sendo 4.974 destes em homens, e 1.481 em mulheres. A região onde se notou a maior taxa de mortalidade foi o Sudeste, seguido pelas regiões Centro-Oeste e Sul.(INCA, 2020)

Além do CEC, outras neoplasias malignas também acometem a cavidade oral, embora com menos frequência, dentre elas as neoplasias mesenquimais, os tumores de glândulas salivares, os tumores odontogênicos e o melanoma.

Etiologia: Os fatores de risco mais comuns associados ao CEC de cavidade oral incluem o consumo de cigarro ou produtos derivados do tabaco e o consumo regular e intenso de bebidas alcoólicas. A exposição solar excessiva sem proteção está associada ao câncer de lábio. Em alguns casos, a infecção pelo vírus HPV está relacionada ao CEC de orofaringe.(INCA, 2020)